Afe, que post mais difícil! Está há um tempão aqui nos meus rascunhos. Já faz mais de um mês que voltei e ainda não consegui colocar em palavras as lembranças incríveis que trouxe comigo da minha última ida ao Brasil.

Mas eu sou assim, opero em slow motion. Cada vez mais. Tenho dado tempo ao tempo, me permitido absorver e digerir as coisas que acontecem comigo.

Mas agora resolvi sentar e só sair daqui quando terminar! Hihihi :)

Em julho fui pra São Paulo. Mas diferente das minhas últimas viagens, esta teve um motivo central diferente: fui participar da Conferência Lampião <3

Então em pouco mais de duas semanas eu vi minha família e alguns amigos, fotografei 8 ensaios, fiz 1 trabalho corporativo, dei uma palestra pra 300 pessoas e uma oficina pra mais de 20 :)

Foi super corrido, poucas horas de sono e muitos redbulls – sempre prometo que vou parar… até que chega a próxima vez em que preciso de uma madrugada produtiva! :D

Tudo começou no ano passado com um convite inesperado do querido Fernando Borges, do Ateliê da Luz. Só o convite em si já me deixou de pernas pro ar, toda feliz :) Eu acompanhei a cobertura da primeira edição do Congresso através dos Snapchats do Rafa Fontana e fiquei morrendo de vontade de estar lá!

Falei pro Fer que eu morava em Londres e cada um de nós fez um esforço extra pra fazer esse encontro acontecer :)

Depois da alegria e coragem de aceitar o convite, vem o desespero: caraca! o que é que eu tenho pra dizer pra esse povo? Depois de 12 anos de carreira, a gente acha que sabe tanta coisa e no fundo percebe que não sabe nada… e perdida no meu processo resolvi falar sobre as dificuldades e obstáculos que eu enfrento (enfrentei) e que são comuns à maioria de nós, não apenas fotógrafos, mas criativos autônomos.

Minha palestra chamou Impermanências. Vou deixar o vídeo de abertura aqui:

Quem me conhece às vezes não imagina o quão nervosa fico antes de falar em público. Pareço desinibida, mas sou super introvertida. Fico tensa, dá frio na barriga, arrepio, medo de esquecer as coisas… Mas quando acaba é tão bom! Vem aquela sensação de dever cumprido. E se alguma coisa que eu disse fez sentido pra alguém, pra uma pessoinha que seja, então eu já fico muito feliz <3

Meu amigo querido (quase nada bom fotógrafo #sqn) Johansson me fotografou enquanto eu segurava o nervosismo em cima do palco :)

E já no final, na hora das perguntas, uma mulher linda que faz parte da minha vida há alguns anos ainda fez uma declaração de amor pra mim! Segura, coração!

Mais delícia ainda que a palestra, foi a oficina. Através do espelho: eu e você. Uma oficina curta perto dos meus workshops recentes. Mas bem intensa. Isso porque com menos gente dá tempo de olhar nos olhos de todo mundo… de abraçar beeeem apertado e que sorte a minha de, mais uma vez, atrair uma turma tão maravilhosa de pessoas!

Tinha umas carinhas conhecidas por lá e foi bem emocionante e pessoal pra mim <3

Na oficina tivemos a oportunidade de fotografar a linda Anna Rios com make da talentosa Gabi Albernaz. E o pano de fundo foi a maravilhosaaa Usina do Queimado <3

Tá aqui o resultado:

Fico querendo fazer caber tudo que rolou nesses 2 dias de Congresso neste post, mas é impossível. Queria colocar aqui o nome de cada pessoa que fez essa experiência inesquecível, mas não vou conseguir :( Então, pra não cometer injustiças… vou deixar aqui o meu MUUUUITO OBRIGADA a todas as pessoas que me acompanham, que torcem por mim, que confiam na minha fotografia, que se inspiram de alguma forma em mim ou no meu trabalho.

Muuuuuuuito obrigada a todo staff do Lampião, que deu duro pra fazer esse evento lindo acontecer. Quero agradecer demais pelo convite, pela oportunidade, pelos carinhos, mimos, boas energias… agradecer todas as vidas que estavam ali naquele momento. Aos amigos de velhos tempos e aos novos amigos. Agradecer os outros palestrantes por serem tão queridos e inspiradores, que turma boa de pessoas talentosas e generosas. Foi uma honra dividir o palco (e a van :D) com nomes tão importantes – e mais do que nomes, pessoas tão iluminadas.

Às vezes me sinto perdida, sozinha, sem entender o mundo que está acontecendo agora… e aí tenho um presente desses, de aprender e compartilhar – MULTIPLICAR – coisas boas com tanta gente incrível. E então me lembro de que a vida é mesmo muito linda e tudo que a gente precisa fazer é estar atento e aberto pra tudo que ela tem a nos oferecer.

♥,
S.

share/tweet/pin
  • Rafael Petrocco - Foi incrível. Só faltou um agradecimento especial ao StormTrooper pela participação. rsrespondercancelar

    • sharon - Você viu que eu não quis me comprometer, né? Mas você merece um SUPER obrigada pelo carinho, amizade, fotos e força <3 Foi muito bom estar perto de vc nesses dias <3respondercancelar

  • Maimi da Sharon - Mais um trabalho lindo, sensível, arrebatador….

    Que muitos, muitos outros cheguem logo!

    Parabéns!

    Muito orgulho de você!respondercancelar

  • Thaminne - pra variar: só coração tem nessa mulheeeer <3 te amo!respondercancelar

  • Carol Gomes - Ahhh sua linda! Como foi bom te encontrar mais uma vez e dar aquele abraço apertado! Mesmo super nervosa, você arrasou!
    Tenho uma admiração e um carinho enorme por você! Daqueles encontros que não se explica.
    Seu olhar sobre o mundo, a simplicidade da sua fotografia me encantaram desde a primeira vez que bati o olho no seu trabalho, (nem lembro como cheguei até ele) e quando te conheci, a identificação foi imediata! Bom demais te ter na minha vida, mesmo que de longe. <3respondercancelar

  • Jess - Gratidão <3
    Obrigada por ser tão incrível! Que seu caminho seja sempre de muito amor e sucesso!
    Obrigada por compartilhar com a gente muito mais que fotografia! Mel posso esperar pela próxima oportunidade de estar com você novamente! Beijooos!respondercancelar

Era uma vez o novo milênio. Anos 2000. Faculdade Cásper Líbero, lá na Av. Paulista, no meio da bagunça que é São Paulo.

Foi nesse cenário que eu conheci a Clau. Estudamos jornalismo juntas. Menina de covinhas profundas <3, sorriso largo e contagiante – você já vai concordar comigo!

Eu sempre digo que amo Londres e que não planejo sair daqui. Mas a verdade é que ser expatriado não é muito fácil. E aí, na véspera do inverno chegar – época mais chatinha porque o senhor Sol se põe às 3h30 da tarde! – vem pra cá essa menina solar!

E 16 anos depois nos reencontramos em Londres, cada uma na sua própria aventura e com seus próprios desafios.

Que delícia foi ter uma amiga de quase 2 décadas assim pertinho por quase 1 ano! Passeios, jantares (segundo ela, a minha comida é a melhor de Londres :D), algumas trapalhadas* e muitas confidências.

Clau, me perdoa, mas vou ter que contar pelo menos uma trapalhada! O mundo precisa saber que você existe e quão enorme é sua capacidade de me fazer sorrir <3

Lá vai: uma noite marcamos de jantar num restaurante Thai. A Clau sugeriu um perto da casa dela, nos mandou o endereço e marcamos o horário. Muito inglesinha que sou, cheguei com o Fer um pouco antes do combinado. Restaurante vazioooo, só tínhamos nós e outra mesa. Passa 5 minutos… passa 10 minutos e nada! Ligo pra ela:

– Clau, cadê você?
– Tô chegando… cheguei! Cadê vocês?
– Estamos aqui dentro, perto da porta!
– Sério? Já entrei, procurei e não achei!
– Não é possível, não tem ninguém aqui, só a gente e outra mesa
– Ah, então acho que tô no lugar errado porque aqui está cheio!

Resumindo: ela é tão maluquete que ela escolhe o lugar, marca o jantar e vai pro lugar errado! hahahaha
Sério, num aguento! hahaha <3

Mas chegou a hora de novos desafios e a Clau vai voltar pro Brasil. Meu coração já tá pequenininho de saudade :( E os dias menos iluminados. Pelo menos ficam as fotos e as histórias pra gente sempre se recordar desse encontro delícia que tivemos <3 E também o lembrete de que amor de amigo quando é de verdade não se abala com tempo, distância ou frequência… ele tem a capacidade de hibernar em invernos glaciais e derreter todinho dentro de um sorriso.

Com vocês, meu solzinho:

♥,
S.

share/tweet/pin
  • Maimi da Sharon - Que lindeza de fotos! Retratam bem a amizade de vocês! Adorei!respondercancelar

Tem grávida linda? Tem!

Tem pai de olho azul? Tem!

Tem menino feliz cheio de cacho dourado? Tem!

Tem nomes diferentes pra pessoas que são únicas? Tem! Mamãe Nara, papai Camilo, irmão mais velho Dom e a pequena – ainda na barriga – Flora.

Que delícia fotografar gente que ama a vida! Obrigada, Nara, por me deixar participar de mais esse momento da historinha de vocês!

♥,
S.

share/tweet/pin
  • Maimi da Sharon - Ensaio maravilhoso! Essas fotos são um tesouro. E que essa família seja sempre muito feliz!respondercancelar

  • Marcela Vaz - Sharon, que trabalho mais lindo e verdadeiro.
    Parabéns, você consegue apresentar a vida de uma forma ainda mais encantadora.

    Com carinho,
    Marcelarespondercancelar

  • Luciana - De faltar o fôlego!respondercancelar

Receber os amigos, tomar chuva, ganhar beijo de sol. Compartilhar os caminhos, os cantinhos, vento no cabelo, frio no tornozelo, pensamentos. Nós entre nós, eles com eles – e com Ele também. Se entregar, misturar, desdobrar, papear. Ver a cidade. Amor de verdade.

♥,
S.

share/tweet/pin