universos particulares

(o texto abaixo foi escrito em 2017 e estou publicando em fev de 2020! Mas sigo APAIXONADA por esse ensaio e pela menina das fotos. O cabelo dela ficou muuuuito mais curto… e os olhos azuis ainda mais cheios de vida)

A fotografia é uma ferramenta de descoberta.

Quando fotografo alguém, é como se eu passeasse pela superfície de um planeta novo, cheio de mistérios – alguns visíveis e muitos outros ocultos – tentando desvendar aquele universo particular.

É um desafio que me faço a cada trabalho.

Na minha palestra Impermanências, falei um pouco sobre algumas dificuldades/fragilidades que tenho na minha carreira, mesmo agora, depois de 12 anos clicando.

E um dos pontos que mais pega é a minha insegurança. Sempre volto dos meus “desafios” achando que eu poderia ter explorado mais. Que talvez, naquela missão, eu tenha falhado. Mas a verdade é que quando sento no meu computador pra ver o resultado, sempre vejo que eu falhei mesmo foi comigo mesma. Por não confiar no meu olhar e na doação e entrega que eu e fotografado depositamos naqueles minutos juntos.

A Ste me deixou entrar na casa dela, no quarto dela, nos olhos dela.

Essas fotos, pra mim, tem um quê de realidade e sonho, de fantasia e descoberta, de duas mulheres (eu e ela) curiosas com quem somos, com o que queremos ser.

Amei viajar no seu universo particular, querida.

♥,
S.

share/tweet/pin

Seu email nunca será compartilhado. Campos requeridos *

*

*